Pular para o conteúdo principal

"CARIDADE NÃO DEVE SER DIVULGADA" - Será mesmo? Vamos refletir?

 Hoje queria dividir com vocês outra reflexão, a qual muito já conversei com vários voluntários durante a execução do Projeto Empatia: 

"Divulgar ou não uma ajuda?" 

"é certo divulgar um projeto/ação social?" 

" Falar de uma ação social que você faz não é vaidade?"

Muito se fala sobre essa "polêmica": Que não devemos divulgar ações, que se falar sobre uma campanha na qual você ajudou  é  "auto promoção", que caridade se faz em silêncio, e etc. Quem nunca ouviu algo do gênero?

O fato é que o medo desses rótulos é tão forte que muita gente tem pavor de sequer comentar sobre alguma doação feita, e alguns voluntários já sofreram muito com esses julgamentos que optam por sequer falar do seu trabalho até mesmo entre amigos e parentes.

Bom, vamos por partes: entendo o pavor ,pois vivemos num mundo que "ama" julgar tudo e todos...na internet então, nem se fala! Mas ai fica a pergunta: como juntar forças, arrecadar, etc. sem divulgar uma campanha ou ação? porque nesse quesito, o ditado é bem real: a União que faz a força!(e que leva o conhecimento também!! ) 
"Quem não é visto não é lembrado", já diz também outro famoso ditado. E isso vale também nesses casos: Como ajudar uma causa se você não a conhece?

Eu mesma já conheci várias ações somente graças à postagens de amigos nas redes sociais!  Estou tendo acesso aos grupos que estou fotografando justamente devido as divulgações que existem! Se ninguém os vê, como poderão os ajudar?

Acho que a questão da "auto- promoção" (da qual todo mundo morre de medo de ser julgado) é bem mais profunda. E esse julgamento só cabe a sua própria consciência, e a Deus! 

Eu acho que só cabe a nós mesmos fazermos individualmente essa reflexão intima sobre a nossa real intenção ao divulgar  um gesto de solidariedade. Penso assim: só nós mesmos sabemos o que realmente tem dentro do nosso coração. E ai vale fazer uma auto- reflexão, meditar sobre nossas reais intenções e ai sim, buscar corrigir possíveis falhas em nossos atos e conduta. Além do mais, podemos esconder de todos, mas a real intenção de nossa alma só quem conhece é Deus!! E o restante?" Deixe que pensem, que digam, que falem..."

 "DANDO A CARA A TAPA"

"Ah, agora pronto: ele quer ser o santo!" Frase muito comum de ser ouvida pelos voluntários.
Quando convido voluntários para divulgar suas ações e eles aceitaram se "expor" é porque esta é uma forma de ajudar o grupo /ação  arrecadar mais doações e mais voluntários ,e assim os que precisam da ajuda desse grupo, serão então ainda mais beneficiados! Entende? 
Enxergar tudo isso apenas pelas lentes da "auto promoção" é pequeno e cruel! Além de todo o trabalho desenvolvido por eles, é necessário ainda entender que eles também estão "dando a cara a tapa" e se submetendo a todo tipo de julgamento e pensamento a respeito de seus gestos.

Vale a pena refletir sobre o quanto é cruel  reduzir todo um trabalho a algo tão pequeno, comparado á grandiosidade do beneficio gerado.

POR QUE ENTÃO DIVULGAR UMA AÇÃO OU PROJETO SOCIAL?

  • CREDIBILIDADE: Eu acredito que quando a gente conhece mais sobre um grupo, vemos quem está por trás dele e pra onde está indo essa ajuda, isso dá ainda mais credibilidade e segurança para as pessoas doarem! E mais uma vez quem sai ganhando com isso? As pessoas que dependem dessas doações! Infelizmente sabemos que ainda existe  no mundo pessoas mal intencionadas, que se utilizam de causas nobres para agirem de má fé. Então quando estamos vendo quem está por trás de uma ação e pra onde aquela doação está indo, isso passa mais segurança  para as pessoas doarem.
  • DERRUBAR MITOS:  "Só quem ajuda é quem tem muito dinheiro ou tempo." Eu já trouxe aqui uma reflexão sobre isso, que venho aprendendo ao longo desse pequeno tempo que estou acompanhando voluntários A verdade é dura e simples: pra ajudar, basta QUERER! Tenho visto gente idosa, gente jovem, gente bem sucedida financeiramente, gente que passa dificuldades. Gente super ocupada, gente com tempo livre. Todas elas DENTRO DE SUAS LIMITAÇÕES encontraram diferentes formas de ajudar.
  • DESMISTIFICAR A IDEIA DE QUE VOLUNTÁRIOS SÃO "HEROIS"/"SANTOS" ou criaturas acima das demais: Nós humanos somos todos iguais. Todos nós nesse planeta passam por dificuldades ( maiores e menores ao decorrer da jornada).Todos nós cometemos erros ao longo da vida. Voluntários também cometem. Também tem dias que estão alegres e outros tristes. Dias que sentem preguiça. E tá tudo bem. São pessoas reais e normais. E é importante falar sobre isso, porque algumas pessoas se sentem inferiores e acham que "não são boas o bastante para fazerem algo pelo outro." A empatia é algo que pode ser trabalhado( também já falei sobre isso!😁),desenvolvido e executado. E nunca nos devemos nos comparar com o outro. Se fulano doou uma grande quantia financeira, e eu não posso doar igual a ele, ok. Mas eu posso ajudar de outra forma: com uma presença, com um ombro amigo, com algo que você saiba fazer (e se não souber, aprende!). Nunca devemos subestimar nossa capacidade de ser útil ao próximo.
  • INSPIRAR OUTRAS PESSOAS: Sim, a bondade é contagiante. Pesquisas sugerem que um ser humano que testemunha atos de bondade estão mais propensos a serem gentis com outros. Cientistas já trabalham inclusive usando essa capacidade para servir de estimulo em diferentes aspectos sociais. Ao ver tantos exemplos de solidariedade , muitos se sentem mais motivados a também ajudarem os outros de alguma forma. E isso também gera outros sentimentos positivos como amor, alegria, gratidão. E isso forma uma grande corrente do bem no mundo.


E mesmo assim, diante de tudo isso... ainda assim vão julgar. A resposta do que fazer então? Somente o seu coração e a sua consciência que vai poder te dar.

E os que só julgam quem divulga, poderiam fazer também uma auto reflexão sobre seus pensamentos e catar um pacote de comida ou ração e ir ajudar alguém também! Porque enquanto tem bocas falando demais, tem outras passando fome..

E no final das contas, quando se opta em Não divulgar uma ação social, só quem sai perdendo infelizmente é quem precisa da ajuda..😣

Então bora ajudar a divulgar o lindo trabalho realizado por essas pessoas e fazer a ajuda chegar a quem precisa ?!❤👏

Postagens mais visitadas deste blog

CARIDADE OU FRATERNIDADE? (reflexões)

 Como pude refletir sobre tanta coisa desde que comecei a fotografar o Projeto Empatia. Eu sou repetitiva quando digo que os voluntários e os assistidos tem muito me ensinado...mas é a verdade! Pra uma pessoa que AMA conversar como eu e refletir sobre tudo na vida, tem sido uma dádiva tudo isso!😁💗 Hoje conversando com uma voluntária que entrega alimentos nas ruas de Natal (e que prefere não se identificar, e eu respeito muito isso) trocamos algumas reflexões sobre várias questões. Algumas delas inclusive, já dividi aqui com vocês( e agora tudo isso tá reunido  aqui no blog do projeto também!).Mas como nessa vida, todo dia é dia de aprender algo novo, ela me trouxe uma questão que eu ainda não tinha refletido, e achei legal compartilhar! *Importante frisar que cada reflexão que trago em forma de "textão", eu não trago como a verdade absoluta ( e isso existe? rs)  ,mas trago como convite   para que cada um de nós possa pensar  nas várias perspectivas de todas essas questões,

LIÇÕES QUE O PROJETO TEM ME ENSINADO (e um desabafo!)

Uma das lições + duras que tenho aprendido com os voluntários (entre incontáveis lições e aprendizados) é uma dolorida e simples verdade: Muita gente não se importa. Simples e direto assim. Por mais que elas digam. Pq na hora do "vamos ver", o negócio muda. Mas pra mim, não adianta você se comover mas não se mover...Tá, eu sei: parece grosseria minha.. mas não tenho uma maneira menos dura de falar aqui sobre isso: "Ah eu até gostaria.. mas é que eu sou tão ocupado." /  "Eu gostaria de ajudar, mas eu não tenho grana".  Talvez essa seja uma das coisas que mais tenho escutado, e os trabalhadores também ao longo dos anos. Me entenda: eu  não quero julgar nada disso, pq não me cabe esse direito!  Mas sim convidar a refletir.  Eu sei que somos um universo de histórias e sentimento e cada um que sabe suas dificuldades. Eu também tenho inúmeras falhas e dificuldades, e também poderia fazer mais! (não sou e nem quero pagar de santa!) Mas hoje tenho tentado mudar, p